Pular para o conteúdo principal

Finanças pessoais para atividade no campo


Vem chegando o fim do ano de 2018 e alguns dados merecem ser destacados para que possam ser reduzidos e/ou eliminados no ano que vem. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que a proporção de famílias brasileiras com dívidas no cartão de crédito, cheque pré-datado, bem como carnê de loja, entre outros, apresentou um percentual de 60,3% em novembro deste ano.

Nesse sentido ressalta-se que mais uma vez o cartão de crédito é apontado como principal tipo de dívida por 77,4% das famílias entrevistadas. Em segundo e terceiro respectivamente vêm os carnês (14,8%) e o financiamento de carro (10,2%). Há de se destacar que em relação ao mesmo período do ano passado houve uma redução de 1,9 pontos percentual do número de famílias endividadas, ou seja, os dados de novembro do ano passado ficaram em 62,2%. Isto significa uma melhoria insignificante do índice de endividamento, muito aquém de um índice satisfatório, visto que praticamente de cada dez famílias, seis estão endividadas.

No campo, a situação ainda é mais alarmante, visto que não há dados oficiais e são poucos os agricultores que fazem um planejamento, ainda mais separando as despesas pessoais dos custos da produção. De acordo com o deputado Jerônimo Goergen do Rio Grande do Sul, coordenador da Comissão de Direito de Propriedade da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), torna-se urgente levantar a real situação enfrentada pelo setor e propor saídas para a grave crise econômica, pois segundo ele este valor atualmente é incalculável. Outro fato destacado pelo deputado é que vários programas de renegociação de dívidas foram lançados nos últimos anos e o endividamento tem aumentado, dificultando em muitos casos o acesso a novas linhas de crédito, pois estão comprometidos com programas anteriores.

Sendo assim, se faz necessário neste início de ano a elaboração de um planejamento para que se possa detectar e analisar as despesas, bem como procurar aumentar as receitas. Diante da necessidade de um planejamento, elaboramos alguns passos para que se possa fazer um planejamento que tornem melhor a gestão dos recursos financeiros.

Ao iniciar o orçamento financeiro ou o planejamento financeiro devem-se levar em conta as receitas e despesas presentes, bem como as estimadas, ou seja, as que por ventura venha a surgir. Deve-se salientar que as pessoas se endividam, sobretudo por não se preocuparem com o futuro ou por não fazerem reservas para alguma emergência.
 Softwares são ferramentas excelentes com o AgroSimulador você controla os dados da produção, faz planejamento e a análise dos custos ou seja, a gestão com inteligencia.

Quanto ao planejamento, sobretudo pessoal deve-se levar em conta:

1. Recolha os recibos e outros documentos financeiros que conseguir, bem como todo tipo de despesas, além de sua receita mensal. 

2. Comece por registrar todas as fontes de rendimentos. O mais comum é registrar o salário e/ou  fontes de rendimento extra.

3. Em relação às despesas, anotar todos os gastos presentes e os que imagina que irá surgir. Separe os gastos em necessários e não necessários

4. Calcule os totais dos rendimentos e despesas todo mês.  Se o resultado final indicar que tem mais receitas do que despesas, o indivíduo está pronto para investir, visto que está superavitário. Já se tiver um total de despesas mais elevado do que o total de receitas, a pessoa está deficitária. Haverá de ter que iniciar uma revisão de seus conceitos, procurando cortar os bens mais supérfluos e não necessários no momento. Até que a receita se torne superior às despesas. 

5. Reveja o planejamento financeiro todos os meses. É salutar rever o orçamento para que se aprimorem os seus gastos. Sempre procure analisar os gastos atuais com o que anotou no orçamento.

           O planejamento da produção é de suma importância para obtenção de maiores lucros na propriedade rural, quer saber mais sobre como detalhar as atividades da propriedade rural, bem como análise dos custos e preços futuros, enfim de como melhorar a gestão de sua propriedade???? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A influência da guerra comercial EUA x China no preço dos grãos

A guerra comercial que o presidente dos EUA Donald Trump está travando com seus parceiros comerciais tem causado grandes reflexos na precificação das commodities agrícolas. A tarifa de 25% imposta pelos EUA a importações de 34 bilhões de dólares de produtos chineses abalou o comércio internacional. A China respondeu a esta investida elevando suas tarifas de importação para 25% a uma cesta de produtos, que inclui soja, milho e carne suína, buscando a compensação das perdas.     A China é quase auto suficiente na produção de milho, importando pouco mais de 5 milhões de toneladas, mas quando se trata de soja, sua importação passou dos 97 milhões de toneladas em 2017, sendo que destes, 35 provenientes dos EUA. A exportação mundial de soja está concentrada em EUA, Brasil, Argentina e Paraguai. A China não tem condições de não importar soja dos EUA, pois não há outras origens com condições de exportar 35 milhões de toneladas adicionais, mas certamente a China dará prioridade para compr…

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO EM 2019

Passada as eleições, com a vitória de Bolsonaro e com boa parte do congresso sendo renovada, além da renovação do otimismo por parte dos brasileiros neste ano que se inicia, é hora de planejarmos o ano para que todos os planos possam ser concretizados.

Em função disto, deve-se ressaltar que a eleição do novo presidente teve apoio de boa parte dos agricultores e de entidades de classe ligadas a eles, bem como da Frente Parlamentar da Agropecuária, que reúne aproximadamente 260 deputados federais, além de senadores. No ministério da Agricultura tem-se a produtora rural e agrônoma Tereza Cristina, formada pela Universidade Federal de Viçosa, que tem larga experiência politica e empresarial.

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) o país deve crescer 2% este ano em relação a 2018. Neste sentido, merece destacar o aumento da produção de grãos que será ainda maior do que no ano passado, que foi de 228 milhões de toneladas, com destaque para a produção de soja qu…